Anemia Ferropriva: causas e tratamento

Anemia Ferropriva
Anemia Ferropriva

A anemia ferropriva é causada pela deficiência crônica de ferro, condição em que há redução da concentração de hemoglobina e produção de hemácias menores, menos coradas e em menor número, a depender do estágio. Além de outros parâmetros hematológicos que devem ser avaliados.

Esse é o distúrbio nutricional mais comum em todo mundo, acometendo 20 a 25% da população, principalmente gestantes, mulheres adultas e crianças pré-escolares (2 a 4 anos).

Um levantamento realizado em 2006 revelou que 21% das crianças entre 0 a 5 anos e 29,4% das mulheres em idade reprodutiva possuem anemia, sendo a prevalência na região nordeste.

A principal causa da deficiência de ferro em lactantes e crianças é a baixa ingestão alimentar, enquanto em adultos são as perdas de sangue pelo trato gastrointestinal, as perdas menstruais, a existência de doenças inflamatórias, o uso de medicamentos e a prática intensa de exercícios físicos. Em vegetarianos, a deficiência do mineral pode ocorrer devido à alimentação desequilibrada, que não compense a ausência de carne na dieta. Nos atletas, principalmente em mulheres, a falta de ferro ocorre por conta da ineficiente recuperação após as competições e produção de substâncias inflamatórias. Já nos idosos, a elevada prevalência de anemia aumenta a vulnerabilidade, taxas de hospitalização e mortalidade.

A anemia ferropriva compromete o desenvolvimento neurológico na infância, aumenta o risco de mortalidade materna e infantil, reduz o desempenho físico e cognitivo, aumenta a susceptibilidade às infecções, prejudica a termorregulação, e compromete a integridade da pele, cabelos e unhas.

O nosso organismo recicla diariamente 20 a 30mg de ferro a partir da eliminação de hemácias envelhecidas, por isso, apenas 1 a 2mg do mineral são obtidos pela dieta. Considerando a baixa absorção do ferro dietético, recomenda-se a ingestão diária de 8mg para homens e 18mg para mulheres, ambos entre 19-30 anos. Durante a gestação, a demanda aumenta para 27mg/dia. Para crianças entre 1 e 3 anos, recomenda-se 7mg/dia, enquanto para crianças de 4 a 8 anos, a recomendação é de 10mg/dia.

As principais fontes de ferro são carnes em geral, folhas verdes escuras e leguminosas. Entretanto, quando a anemia ferropriva é diagnosticada, faz-se necessário o uso de suplementação, pois somente o consumo de alimentos ricos em ferro não é suficiente.

A suplementação é uma medida segura e eficaz para prevenção de anemia e recuperação das concentrações de hemoglobina e estoques do mineral.

<iframe src=”https://giphy.com/embed/1n8z8D64TXem04kuTU” width=”480″ height=”480″ frameBorder=”0″ class=”giphy-embed” allowFullScreen></iframe><p><a href=”https://giphy.com/stickers/ferro-suplemento-1n8z8D64TXem04kuTU”>via GIPHY</a></p>

Conheça o Ferrite® da Naturalis. O Ferrite® contém Ferro Aminoácido Quelato, ou seja, Ferro combinado com aminoácidos que proporcionam uma maior absorção desse mineral. O Ferro, o Ácido Fólico e a Vitamina B12 são importantes na constituição e formação das células do sangue (hemácias). Clique AQUI e conheça!

Deixe uma resposta