Setembro Amarelo: mês da prevenção ao suicídio

Setembro Amarelo
Setembro Amarelo

Desde 2014, o mês de Setembro é marcado pela cor amarela numa campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Esta ação ocorre no mesmo mês em que se celebra o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio (10 de Setembro).

Segundo dados da ONU, aproximadamente 805 mil pessoas se suicidam por ano e 9 em cada 10 casos poderiam ser evitados. Pelos dados oficiais do Brasil, 32 brasileiros cometem suicídio por dia, contemplando uma média de 1 caso a cada 45 minutos, uma taxa superior às vítimas de AIDs e da maioria dos tipos de câncer.

Apesar da 113ª posição no ranking de suicídios a cada 100 mil habitantes, o Brasil, em classificação geral, ocupa o 8º lugar com mais episódios no mundo.

A ocorrência de transtornos ou distúrbios psicológicos é aplicada a praticamente 100% dos casos de suicídio. As vítimas, por desconhecimento, medo, vergonha ou falta de suporte, fogem do assunto e silenciam muitos dos sinais que podem prever um episódio.  Além disso, a falta de conhecimento da população também contribui para que esses sinais não sejam identificados previamente a fim de que haja tempo de tentar ajudar a vítima de alguma forma.

Em 1962 foi fundado o Centro de Valorização à Vida (CVV), uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica e reconhecida como Utilidade Pública Federal em 1963, que presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio a todas as pessoas que desejarem ou precisarem conversar, sob total sigilo.

Mais de um milhão de atendimentos são realizados anualmente por aproximadamente 2.000 voluntários pelo telefone 188 (24h), pessoalmente nos 80 postos de atendimento ou via chat, VoIP e e-mail (por meio do site da organização).

Para ser um voluntário, é preciso ter mais de 18 anos, ter pelo menos 4 horas disponíveis por semana e fazer um curso gratuito de preparação em uma das sedes do CVV.

Como o próprio tema da campanha deste ano já diz: falar é a melhor solução! Mas para que isso aconteça e seja efetivo, é preciso ter quem esteja disposto a ouvi-los sem preconceitos e/ou julgamentos.

Acesse a CVV e conheça as opções além do número 188 –   https://www.cvv.org.br/

cvv-prevenção-suicidio

Deixe uma resposta